SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Você sabe o que é a internet das coisas (IoT)?

Tempo de leitura: 2 minutos

Conectar itens usados na rotina à internet, esse é o objetivo da internet das coisas. Então se você realmente achava que a tecnologia havia chegado ao seu ápice com o WhatsApp, saiba que as máquinas estão muitos passos à frente da sua imaginação.

A existência da internet das coisas pode ser verificada no Brasil em máquinas de cartão e rastreadores de veículos, mas em outros países a ideia já conecta bicicletas, robôs e uma infinidade de outros equipamentos eletrônicos, levando-nos a era dos Jetsons.

Atualmente, o mundo conta com mais máquinas conectadas do que celulares, a conta é mais ou menos a seguinte: 8,4 bilhões de aparelhos inteligentes contra 2,1 bilhões de smartphones.

Ok, contudo o que isso tem a ver com o universo das moedas digitais? Calma, a gente te explica.

Conheça a CoinBene

Aplicações além do trivial

A internet das coisas pode transformar os negócios de uma forma inimaginada e isso acontecerá com a junção ao blockchain.

Essas estruturas descentralizadas abrandam possíveis falhas, fornecendo protocolos padrão para que os dispositivos se identifiquem e estabeleçam conexão.

Imagine um equipamento inteligente conectado a um oleoduto. Com acesso a dados históricos e atuais, smart contracts colocados no blockchain poderiam ajustar o fluxo de óleo a ser produzido seguindo a demanda global atualizada e direcionar o petróleo para áreas em que o preço pode registrar alta devido a baixa oferta. Legal, né?

O blockchain pode ser aplicado com sucesso no gerenciamento de uma cadeia de fornecedores, venda de capacidade de dispositivos ociosos, máquinas que prestam serviços para humanos em uma economia compartilhada e a divisão de dados entre as ferramentas e com terceiros.

E ao invés de criar blockchain próprio, muitas empresas utilizam o blockchain de criptomoedas, como o Bitcoin, IOTA e Ethereum, para apresentar soluções inovadoras que promovem economia de tempo, dinheiro e aumento de qualidade.

No futuro, os dispositivos poderão assumir uma identidade digital e ganhar dinheiro para nós enquanto desfrutamos de redes inteiramente compartilhadas em favor de uma sociedade igualitária.

Caso o domínio das máquinas conectadas a corporações controladas por algo que existe apenas no mundo digital gere desconfiança saiba que tem muito humano usando dados sensíveis de usuários em benefício próprio. Lembra-se do escândalo recente envolvendo o Facebook? Então, talvez seja melhor dar crédito a capacidade das dispositivos inteligentes, afinal esse pelo menos nos podemos programar.

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
mercado automotivo blockchain
Mercado automotivo global de blockchain deve superar US$ 1,6 bi até 2026
Primeiro IPO de empresa do setor de moedas digitais é realizado
Mainnet rede ALAX
Atualização de rede paralisa operações do ALAX (ALX)