SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Invasão de computadores rendem US$ 2 mi em criptomoedas

Tempo de leitura: 1 minuto

A propagação de um malware de mineração em computadores na China rendeu a criminosos mais de US$ 2 milhões em dois anos, segundo informações da CoinDesk.

A polícia da cidade de Da Lian, na China, prendeu 20 suspeitos de terem invadido mais de 1 milhão de computadores no país. Todos trabalhavam em uma empresa de tecnologia.

Segundo a polícia, os hackers criaram e usaram o malware dentro do plug-in de um navegador que supostamente seria mais rápido que os demais com o intuito de atrair possíveis vítimas.

Clicando nos anúncios feitos ou instalando os plug-ins de melhoria de desempenho, mais de 1 milhão de máquinas foram infectadas, extraindo 26 milhões de Decred, Digibyte e Siacoin ao longo de dois anos.

Conheça a CoinBene

A técnica

Os golpistas optaram por focar em ativos digitais “menores”, uma vez que exigem menor poder computacional das máquinas e transformando o processo de mineração em algo quase imperceptível.  

A reportagem também mostrou que os criminosos fizeram uso de uma rede com mais de 100 agentes para ajudar a propagar o malware, inclusive utilizando conexões gratuitas de cybercafés para infectar os computadores.

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
par
Atualizamos as casas decimais de par da Electroneum (ETN)
Golpes
Australianos perdem US$ 4,3 milhões em golpes por mês
Investidor aposta em longa duração do blockchain do Bitcoin
Investidor aposta em longa duração do blockchain do Bitcoin